quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

E as atividades continuam.


Eu não disse? Mesmo em tempo de férias as atividades da EA continuam. Este foi um flagrante do pic nic feito hoje à tarde na sede campestre da CEF de Santa Maria. Aos poucos o grupo vai aumentando pois já estamos às vésperas do retorno às aulas. Os sorrisos demonstram a alegria que foi este reencontro. Até o dia 11/3, dia do reinício das atividades, teremos que preparar o  material escolar pois, pelo que soube, teremos muitas novidades para esse semestre.

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Aos poucos estamos retornando.



Após um bom tempo sem postar nada no "escola", volto a escrever sobre o que vem acontecendo com o nosso pessoal. Vou relatar aqui algumas das atividades de férias que foram acontecendo nestes meses de verão aqui em Santa Maria. Já foram feitos alguns encontros em casa de colegas à beira da piscina da Goreti e da Dirlane, já houve encontros em shoppings - os famosos encontros das sextas-feiras - e no Dani Café, já houve um jantar de confraternização. O comparecimento das colegas depende de estarem ou não na cidade pois ainda estamos em plenas férias. Já está sendo programado um novo encontro numa sede campestre para aproveitar este finalzinho de verão. e para o retorno às aulas já há um movimento para uma nova "viagem de estudos" com roteiro histórico e gastronômico. Definitivamente, a EA não para!

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

É preciso dar um tempo.

Estamos vivendo momentos de muita tristeza e apreensão em Santa Maria. Os noticiários nacional e internacional dão conta de atualizar dados, providências, medidas que possam ajudar aos sobreviventes e familiares, cultos, caminhadas, homenagens aos que partiram e orações para os que estão internados. É preciso dar um tempo para que tudo isto seja processado no nosso cérebro e possamos retomar nossas vidas aos poucos. A dor é grande, a tristeza muita mas temos que seguir e seguir em busca de soluções para a negligência, o descaso, a ganância, a imprevidência. Cabe a cada um de nós, nos nossos lares, com nossos filhos despertar neles o amor à vida, o amor ao próximo, a compaixão, a generosidade, sentimentos que fazem com que não sejamos indiferentes ao que ocorre ao nosso lado mesmo que não seja diretamente conosco. Vamos aguardar que as responsabilidades sejam apuradas e que, a partir desta tragédia, todas as providências para colocarmos nossas vidas em segurança sejam exigidas por quem de direito e executadas por quem de fato. Que Deus tenha recebido esses jovens em seu regaço e que os que ainda lutam para sobreviver que tenham todo atendimento necessário e que as equipes que os cuidam sejam iluminadas. 

Vamos dar um tempo, vamos dar um tempo, precisamos dele!